Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

27/04/2017

O caminhar do Princípio Inteligente Oswaldo Merino


Os dogmas espiritas são princípios de razão, portanto diferem do sentido dado a esta palavra por outras doutrinas religiosas e filosóficas. Não houve a preocupação de um sentido lógico do assunto, mesmo porque tudo estava relacionado a criação do espirito.

“Os únicos que não filosofam: o sábio e o ignorante. Um sabe tudo e o outro não sabe nada”

Abreviações:

  • LE – Livro dos Espíritos
  • LM – Livro dos Médiuns
  • ESE – Evangelho Segundo o Espiritismo
  • OP – Obras Póstumas
  • GE – Gênese
  • RE – Revista Espirita

EVOLUÇÃO DO ESPIRITO

LE 127 – Somos criados iguais, daí decorre entender que partimos da mesma fonte.

RE 1866 – agosto – Perfectibilidade dos Espíritos, Médium Desliens, espirito MOKI – …. “A soma das quantidades finitas jamais formara uma quantidade infinita. A Natureza de DEUS é um obstáculo intransponível, porque se atingíssemos a DEUS, seriamos o próprio DEUS. ”

Fica patente que nossa perfeição será atingindo o ponto possível de um relativo determinado pelo Criador.

divjce18

PRINCIPIO ESPIRITUAL DO UNIVERSO

GE Cap. 10 itens 3 – O espiritismo demostra que o elemento espiritual é uma das forças vivas da natureza, força incessantemente atuante em concorrência com a força material, fazendo entrar os fenômenos que daí resultam no circulo dos efeitos naturais.

GE Cap. 10 itens 9 – Os fenômenos espiritas consistem nos diferentes modos de manifestação …. São esses efeitos que fazem o objeto especial das indagações e do estudo do espiritismo a fim de chegar –se ao conhecimento tão completo quanto possível, da natureza e dos atributos da alma, bem como das leis que regem o principio espiritual.

GE Cap. 11 itens 6 – A solidificação da matéria é na realidade um estado transitório do fluido universal, que pode voltar ao seu estado primitivo quando as condições de coesão cessem d existir (quem mantém esta coesão?). O conhecimento de novas leis que permitirão compreender aquilo que ainda é para nós mistério.

GE Cap. 11 itens 5 – Os pontos de partida do fluido universal é o grau de pureza absoluta, o oposto é a sua transformação em matéria tangível.

(Observamos que na matéria há constante e interminável transformação, no espirito, só evolução, desta forma quem evolui é por que tem) 

LM item 51 – Os espíritos que ditam o livro que traz o seu nome provam à própria sabedoria ao respeitarem, no tocante ao princípio das coisas, os limites que DEUS não permite passar, deixando aos espíritos sistemáticos e presunçosos a responsabilidade das teorias prematuras e errôneas, mais fascinantes do que serias, e que um dia cairão ao embate da razão, como tantas outras oriundas do cérebro humano. Só disseram o justamente necessário para que o homem compreenda o seu futuro e assim encorajá –lo na pratica do bem.

É um chamamento de atenção a nós que nos propusemos debater esse tema tão complexo, mas é necessário o desenvolvimento de idéias a esse respeito com base nos livros da codificação, num primeiro momento, e após partir para outros livros, como Evolução em dois Mundos, que agora poderia ensejar alguma confusão.

OP – Parte I parágrafo III item 15 – A origem dos espíritos …. Criados simples e ignorante, sem ciência e sem conhecimento do bem e do mal …. A principio permanecem numa espécie de infância, SEM VONTADE PRÓPRIA E SEM CONSCIÊNCIA PERFEITA DE SUA EXISTÊNCIA… (grifo nosso) ver tbm item 16.

OP Parte I parágrafo II item 4 – A Alma – … se o pensamento fosse propriedade da matéria ver – se – ia a matéria bruta pensar; ora, como jamais se viu matéria inerte dotada de faculdades intelectuais … devemos concluir que a alma é independente da matéria, e os órgãos (quando vivos) são apenas instrumentos dos quais o homem manifesta o pensamento.

LE 728 – É preciso que tudo se destrua para renascer e regenerar.

LE 729 – A parte essencial é o principio inteligente que não se pode destruir, e se elabora nas metamorfoses diversas que passa.

GE Cap. 10 itens 16 – Jamais poderá o espirito igualar –se ao criador.

LM – Cap. III item 50LE 23, 82, 93, 257 – A essência do espirito é de tal maneira superior que não apresenta nenhuma analogia com o que chamamos de matéria, e que por isso ele é, para nós imaterial.

ESE – Cap. 14 – O espirito não procede do espirito.

divjce18

PRINCIPIO INTELIGENTE

LE 1 — DEUS inteligência suprema do universo

LE 14 — DEUS é um SER a parte da criação

LE 23 — O espirito é o principio inteligente do universo (espirito com letra minúscula designa o todo inteligente não fragmentado ou individualizado)

Nota – Temos aqui o principio inteligência e o princípio inteligente, a dualidade manifesta possível.

LE 79 — Os Espíritos são a individualização do princípio inteligente (espirito com letra maiúscula designa o ser individualizado) grifo meu.

LE 606 — O espirito (minúscula) se elabora nos reinos inferiores.

LE 607 — Evolução dos reinos inferiores até a humanidade.

LE 611 — Não é possível a regressão aos reinos inferiores.

LE 728 — (É necessário a lei de destruição, neste caso a matéria, para que possa haver transformação, caso contrário como se libertaria o espirito trabalhando no mineral) grifo meu

OP Parte I parágrafo III item 18 – Os espíritos como agente de DEUS, e concorrem para realização dos desígnios da criação na manutenção da harmonia geral do universo e das leis imutáveis da criação.

DEUS é a causa e sua manifestação na matéria é feita através dos espíritos
DEUS é ato puro, o espirito potencialidade
DEUS em si (objeto), espirito para si (objeto)
DEUS universal, espirito particular, que precisa se atualizar infinitamente

Temos duas formas de entender as coisas 

  • Princípio de razão: onde só consigo entender e provar pela percepção da razão
  • Principio cientifico: consigo provar

divjce18

CRIAÇÃO DOS ESPÍRITOS

LE 77 – somos obra de DEUS.

LE 78 – Nada sabemos da criação, da essência.

LE 80 – Os espíritos são criados sempre (a ciência verifica o universo em constante expansão, aqui fica claro o motivo deste fenômeno) que só pode ser explicado pelo principio da razão e não da ciência ainda.

LE 81 – Somos criados pela vontade (assim como criamos através de nossos pensamentos) poderia alongar mais a questão – Somos co-criadores após Ter atingido o período de consciência, onde potencializamos a razão e com esta fica desenvolvida necessariamente os atributos da vontade e o livre arbítrio, atributos que somente DEUS possui alem de nós (entendemos assim o porquê ser a sua imagem e semelhança, não física, mas na essência).

DEUS vontade infinita absoluta, espirito vontade infinita relativa.

LE 115 – A criação simples e ignorante demostra a justiça do criador.

LE 144 – As verdades já estavam nos precursores do espiritismo, nada dá saltos, tudo é harmonia. Demostra que toda a filosofia tem um pouco de verdade, mais além o espiritismo se torna a síntese de todo o pensamento humano até aqui, pois trata de todas as questões indistintamente.

GE Cap. 11 itens 7 – O corpo espiritual e o corpo carnal têm o mesmo princípio (corpo espiritual aqui períspirito).

Item 8 – A variação do corpo espiritual de acordo com sua evolução.

Item 29 – O espirito recebe as sensações através da matéria, provocando sua evolução.

divjce18

TEORIA DO CAMINHAR ESPIRITUAL

GE – Capitulo 8 itens 1 a 49 – O principio espiritual é o corolário da existência de DEUS.

Sem a existência do espirito, não haveria razão de haver DEUS.

O espirito não provem do mesmo princípio material, pois não está sujeito às vicissitudes desta.
O principio vital (item 8 e LE 63 e 64) não é como afirma a codificação, (por falta de uma melhor terminologia) um terceiro elemento: ele é sim uma alteração da matéria aí estão implícitos dois fatores que é preciso considerar: a faculdade que a matéria possui por natureza ou essência de ser transformada em energia vital, e a existência necessária (não pode ser de outra forma) de um agente que ocasiona, que atua nessa mutação.

Os mundos materiais fornecem para o espirito elementos de atividade para a evolução de sua inteligência.

FEITAS ESTAS CONSIDERAÇÕES SÓ NOS RESTA FILOSOFAR…

Perquirindo os profundos pensamentos aonde podemos alcançar pelo princípio de razão.
Partimos de criação constante daquele principio inteligente que até agora estudamos, massa uniforme, imutável, (imaterial até onde podemos entender por este termo), sofre no momento da maturação criadora a fragmentação necessária, categórica, que formará a entidade individualizada.
Entidade esta com reflexos da potencialidade criadora, detém em si, todos os atributos do criador, não desenvolvidos ainda.

Parte em sua jornada evolutiva, utilizando para isso os meios que dispõe, auxiliada na sua infância, pela graça celestial.

Agrega a si o elo necessário para sua união matéria, e neste primórdio dotado de um corpo semifluidico, um envoltório, uma periespecie, inicia cm este envolvendo o átomo para lhe dar constância e movimento, em auxilio inconsciente na criação, é o primeiro trabalho.

Atinge o ápice quando nos evos de atos repetitivos, chega a categoria dos cristais, e consegue demostrar os primeiros sinais de ação própria, conseguindo igualar quando desiguais.

Na permuta constante entre os minerais e vegetais, absorve este último determinado sais e carbono, agregando uma função nova aos minerais, agora participante de organismos com atividade vital. Aqui se desenvolve a sensibilidade, estes princípios explanados na questão 586 do LE, nos leva, mais longe que poderíamos supor.

Mas a manutenção da matéria organizada, necessário se faz uma inteligência, para que se fixe a memória, e possa já ter condição de dar continuidade da espécie, nesta fase já houve avanços impressionantes, Pois é aqui que inicia os processos de criação sexuada.

Avançando chegamos aos vegetais com propriedades sensoras pronunciadas, destacam –se as plantas carnívoras, absorvendo propriedades destes alimentos, para ter condição necessária, na conquista de patamares superiores.

A permuta intensa de experiências entre os reinos, se quer percebemos hoje, pois o processo é continuo, e como tal há entidades em luta, na subida redentora. Inicia nos corpos simples, a caminhada no reino animal.

Continuamente obriga–se em direção à corpos complexos, a potencialidade desenvolvendo percebe às cadeias inicias da autocriação “vos sois deuses “disse Jesus, nada mais do que verdadeiro, sou construtor de mim mesmo.

No cume dos irracionais encontramos entidades dotadas de pensamentos descontinuados, sem consciência, sem racionalidade, utilizam estes atributos como patamares de evolução do instinto que conquistara, tempos atrás.

Esta inteligência limitada é a anti sala para a complementação do irracional para o racional, do inconsciente para o consciente.

Com a consciência cria obrigações mais responsáveis diante do universo que o cerca, agora é obrigado a trabalhar, para evoluir, pois até aqui tudo era instintivo, leva consigo este e adquire mais.
A razão é a fé também paridas seguem conjunta, fé iluminando os seus caminhos, e só muito mais tarde por necessidade perquiridora alia – se a razão para lhe dar o rumo de que necessita.
O trabalho, castigo dado a Adão, teria sido, mesmo que ali esta uma alegoria, o maior presente divino ao homem espirito.

E numa atividade repetitiva aprende e apreende em si, para utilização das potencialidades, agora aflorada no SER, racional.

SER único, filho dileto do Pai, parte para sua evolução a fim de conhecer seu criador em permuta constante de amor.

Só pode dar que tem, e só pode se relacionar quem tem os mesmos atributos, se JESUS disse que podemos pedir, louvar, ao Pai, é sinal que já atingimos o patamar de comum entendimento.
Privilegiado em toda natureza, mas a quem mais foi dado mais foi pedido, esta condição exige de nós responsabilidade, com a criação, no auxilio que nos compete.

Quando ouvimos a 2000 anos alguém dizer que o plantio não é obrigatório, mas a colheita é certa, fico a imaginar, temos todas as ferramentas, desde do momento em que nos fragmentamos do criador, pelo seu amor à nós, ELE nos aguarda em tempo próximo, para volta do filho que caminhou pelo seu reino, sempre cercado pelo seu cuidado e seu amor.

Neste tempo iremos compreender a jornada a que fomos submetidos e somente aí entenderemos o amor do Pai por nós.

Fraternal abraço

Por favor, avalie este artigo.

Tags: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More Stories From Livres Pensamentos

About [JCE] - Editor

Editor geral e responsável pela diagramação dos artigos no Jornal Impresso e Online.