Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

25/05/2017

Museu Espírita em São Paulo Gilberto Schoereder


Desde 1997 já está funcionando o Museu Espírita de São Paulo, uma ideia que nasceu com Allan Kardec, e que vem sendo desenvolvida e ampliada pelo Instituto de Cultura Espírita de São Paulo.

Pouco antes de desencarnar, Allan Kardec teve a ideia de iniciar um museu do Espiritismo, tarefa que não teve tempo para iniciar. Mas foi esse pensamento de Kardec que inspirou as atividades do Dr. Paulo Toledo Machado, diretor do ICESP (Instituto de Cultura Espírita de São Paulo), que resultaram na fundação do Museu Espírita, o único do gênero no mundo.

Como tantas obras realizadas no Brasil, o museu tem chamado bastante a atenção no exterior, mas ainda é pouco conhecido em nosso país. Mas as pessoas deveriam conhecê-lo, pois se trata de um trabalho dos mais interessantes, desde a elaboração arquitetônica do prédio em que está sediado, em São Paulo, até seu acervo de obras clássicas e raras do Espiritismo em todo o mundo.

O Museu Espírita foi inaugurado em 1997, mas a ideia é bem mais antiga (1982), e está ligada às atividades do Dr. Paulo, filho de Américo Bairral, que, por sua vez, foi o fundador do Instituto Bairral, hoje um dos centros de psiquiatria mais conceituados do mundo. “Eu sou de família espírita”, explica o Dr. Paulo Toledo Machado, e desde 1946 já era presidente de um centro espírita, no bairro da Pompéia, em São Paulo. Nessa ocasião eu era professor. Dr. Paulo nasceu em Itapira e, após o desencarne de seu pai, em 1931, e depois da revolução de 32, ele veio para São Paulo.

Inspiração

Basicamente, três fatores contribuíram para que a idéia do museu nascesse e se desenvolvesse até seu estágio atual. Primeiro, o fato do Dr. Paulo ter nascido em berço espírita, como ele explica. Não tinha, então, a idéia materializada de um museu, mas sim de juntar documentação sobre o Espiritismo. Esse material vai sendo coletado e guardado ao longo da vida e, quando se percebe, já se tem um museu. Em segundo, concorreu o fato dele já ser um dirigente de centro espírita em 1946, procurando dar a esse centro uma cultura espírita, algo que não acontecia muito na época. “As pessoas iam aos centros procurando mais a parte mediúnica do Espiritismo“, ele explica. “Eu criei uma biblioteca no centro e, na época, uma biblioteca num centro espírita em São Paulo não era muito comum. Na minha terra, em Itapira, o espiritismo sempre foi kardecista; cada dia da semana, se estudava uma obra de Kardec. Então, criamos uma biblioteca“.

Quando tinha 22 anos de idade, foi fundada a Mocidade Espírita da Lapa, com Paulo Toledo escolhido para ser diretor de estudos. Ao estudar a parte histórica do Espiritismo, os integrantes do grupo de estudo perceberam que Kardec tinha pensado na elaboração de um museu espírita, noventa dias antes de desencarnar. “Ele fez referência a essa idéia na Revista Espírita de dezembro de 1868”, explica Paulo. “Kardec disse que havia recebido oito telas de um famoso pintor francês, e até descreve as telas: duas de Cristo, três de Joana D’Arc, uma de Jan Huss, um auto-retrato do autor e uma pintura de Kardec. Ele só não falou quem era o pintor”. Assim, esse foi o terceiro e decisivo fator a inspirar a criação de um museu espírita. “De certa forma, estamos realizando o sonho de Kardec, com a criação de um museu espírita”.

Posteriormente, realizando investigações na França, dr. Paulo descobriu que o pintor em questão chamava-se Monvoisin (Raymond Auguste Quinsac Monvoisin, 1794 – 1870), e de fato era bastante conhecido na época. Ele, inclusive, esteve no Brasil, pintou um retrato de D. Pedro II e, em 1847, recebeu a Ordem do Cruzeiro, uma das principais condecorações do país.

Realizando o Sonho

A concretização do museu começou em 1992, quando ele foi criado estatutariamente. “Depois”, explica Paulo Toledo, “nós compramos este terreno, construímos o prédio, e inauguramos o Museu Espírita no dia 18 de abril de 1997. Hoje, temos um relacionamento muito importante com museólogos, e na área cultural, com outras instituições. E ele tem uma repercussão muito grande em todo o mundo: na Inglaterra, França, Espanha, Portugal, e até no Japão, Austrália e EUA, com quem mantemos correspondência. E aqui, no Brasil, os espíritas não conhecem. Quando inauguramos, o Metrô News – um jornal que, na época, publicava um milhão de exemplares – fez uma matéria sobre o museu. Foi divulgado na TV Gazeta e em outros jornais; O Estado de S. Paulo, que não dá muitas notas espíritas, já fez duas reportagens aqui. E os espíritas não conhecem”. Ainda assim, o museu recebe muitos visitantes de outros países, não apenas da América do Sul, mas de todo o mundo. Segundo o dr. Paulo, alguns hotéis de São Paulo chegam a procurá-los para incluir visitas ao Museu Espírita no trajeto de turistas que vêm à cidade.

O museu, situado no bairro da Lapa, mantém uma biblioteca com cerca de três mil volumes relacionados ao Espiritismo, inclusive algumas raridades, conta com um acervo de manuscritos de Allan Kardec em que constam alguns volumes nos quais ele ainda assinava como Denizard Rivail. Também tem exemplares raros de publicações nacionais e internacionais, entre elas a primeira publicação periódica brasileira sobre Espiritismo, e outros objetos que contam uma parte significativa da história do Espiritismo no Brasil.

Uma das idéias do dr. Paulo Toledo Machado para complementar as atrações do museu, foi a elaboração de oito quadros, reproduzindo os quadros que Kardec recebeu de Monvoisin, e que foram dispostos na sala principal.

Para o futuro, o museu também vai contar com uma Pinacoteca Espírita, que já se encontra em fase de construção, com um prédio anexo ao do museu e do ICESP. Para tanto, Paulo também espera contar com a colaboração de artistas que tenham obras do gênero, e que queiram participar com obras mediúnicas ou que tenham relação com o Espiritismo.

Uma visita ao museu é indispensável a qualquer espírita que more ou esteja visitando São Paulo. É um exemplo do que pode ser realizado com amor, força de vontade e muita inspiração.


(Veja matéria sobre o Instituto Bairral na Revista Espiritismo e Ciência número 1)

Museu Espírita de São Paulo.
Rua Guaricanga, 349
São Paulo – SP
05075-030
Telefones: (11) 3834-6225 / 3834-4701
E-mail: icesp@frontier.com.br

Atividades e horários:

2ª feira
Estudos doutrinários e educação mediúnica – 20h15

3ª feira 
Estudos doutrinários e educação mediúnica – 15h
Evangelização e assistência espiritual – 20h15

4ª feira
Estudos doutrinários e Filosofia Espírita – 20h15

5ª feira
Evangelização e assistência espiritual – 14h30
Atendimento à família e às gestantes – 14h30

Sábado
Estudos doutrinários – 20h15
Evangelização e assistência espiritual – 20h15


Por Gilberto Schoereder

Por favor, avalie este artigo.

Tags: ,

3 Responses “Museu Espírita em São Paulo Gilberto Schoereder

  1. Carlos Roberto Monteoliva
    01/06/2016 at 12:12

    Gostaria de saber como fazer para visitar o Museu em S.Paulo, pois sou de Jacareí,interior de S.Paulo.

    0

    0
    • 29/07/2016 at 13:50

      Boa tarde Carlos. Recomendamos entrar em contato com a administração do Museu, para obter horários atualizados de funcionamento e ter uma ideia de quantas pessoas irão visitá-lo. Recomendamos também que se façam grupo de no máximo 30 pessoas. Segue informações de contato: Museu Espírita de São Paulo. – Endereço: Rua Guaricanga, 349- São Paulo – SP – CEP: 05075-030 – Telefones: (11) 3834-6225 / 3834-4701 – E-mail: icesp@frontier.com.br – Obrigado.

      0

      0
      • Carlos Roberto Monteoliva
        30/07/2016 at 12:44

        Caros irmãos de ideal espírita, sou de Jacareí e preciso de informações sobre a visita ao Museu Espírita,tais como horários de visitação e taxas de ingresso.
        Abs.
        Paz e Luz!

        Carlos Monteoliva

        0

        0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More Stories From Gilberto Schoereder

About [JCE] - Editor

Editor geral e responsável pela diagramação dos artigos no Jornal Impresso e Online.