Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

24/06/2017

Educação e Ensino Moura Rêgo


Hoje em dia o tráfego da informação é vertiginoso, os meios de comunicação, todos eles, a Internet, fazem com que o homem tome num átimo, conhecimento de fatos acontecidos do outro lado do mundo. O que pode ser entendido como transmissão de conhecimentos.

De outra feita, no mesmo sentido, todas as escolas, por seus mestres, incumbem-se de ministrar esses conhecimentos às crianças, jovens e adultos. É o ensino promovendo o esclarecimento e o progresso dos povos. Disso todos o sabem… Opa! Será que todos sabem? Mesmo?

divisor-6

Os amigos hão de estar estranhando a indagação, porém, ela não é descabida. Senão vejamos: Sabemos que o aprendizado é ininterrupto, que o Espírito encarnado, segue fatalmente o caminho do progresso, destarte das primeiras letras, à Universidade e desta para a vida diária, assim segue, aprendendo e ensinando, coletando dados que o farão estar mais condignamente preparado para atuar no meio social em que vive, dando e recebendo, produzindo ou recebendo a produção informativa, transformando-a em ações que desenvolve no dia a dia. Até ai todos concordamos. Não! Há quem discorde, pasmem! Sim, existem companheiros que afirmam a bater no peito, “que ninguém ensina ninguém, ninguém educa ninguém”. E o pior, alguns desses companheiros estão entre nós Espíritas. Pior ainda, pavoneando-se de condição que não estão preparados para exercer: Ensinar.

taxa-aprendizado-jce

É com grande pesar que notamos que muitos dos “desaprendizados” que o Movimento Espírita Brasileiro apresenta, deve-se a estes ”Mestres”. O que me lembra a célebre frase do Rabi: “São cegos guiando a cegos”. Como o Nazareno tinha razão. Se percebermos que tal frase foi proferida há mais de dois mil anos atrás, e que se encontra atualíssima nos nossos dias, por certo tal fato nos enche de apreensão e tristeza.

Como sei que tais cultores do “desensino” estarão a se arregimentar, com o fito de contradizerem minha assertiva, apresso-me a colocar, neste ponto, extraídas de dois conceituados dicionários, a explicação destes aos dois vocábulos que formam o cerne dessas linhas.

Educar e Ensinar:

Dicionário Aurélio: Educar – do latim Educare. Promover a educação; transmitir conhecimento; instruir. Exemplo: Bons mestres educam o rapaz. Cultivar o Espírito (grifo nosso)

Ensinar: do Latim insignare; Ministrar ensino; transmitir conhecimento de; instruir; lecionar; Transmitir conhecimentos a. Exemplo: Ensinar o filho.

Dicionário – Saconi: Educar – promover o desenvolvimento das faculdades físicas, MORAIS (grifo nosso), ou intelectuais de.

Ensinar – Transmitir conhecimento a; por meio de lições, doutrinar ou mostrar a verdade; habituar por meio de conselhos.

Como fazem prova, as citações desses dois dicionários, vemos que nós, Espíritos encarnados, podemos e somos alvos da transmissão desses conhecimentos, e mais, podemos também nos formar divulgadores destes mesmos conhecimentos, pelos exemplos de nossos atos ou palavras. Esta a missão dos Mestres e dos pais, nossos primeiros professores. Contudo, faltaria com a justiça e com a verdade, se não elencasse aqui, o fulcro desses desentendimentos que estão a gerar tanta desinformação: Tudo se funda em frase bombástica que usando de generalização, produz pensamentos e conclusões erradiças, que como notícias ruins, andam muito rápido. A frase é: “Ninguém modifica ninguém”. Certa, errada? A meu entender, a frase contém conteúdo correto, porém, se lançada ao Éter sem a necessária explicação, toma vulto de generalidade e ai é que mora o perigo. Devemos, antes de tudo, mostrar amplamente que apesar de se poder afirmar tal coisa, o ensino estaria incompleto se não afirmássemos: todos nós podemos e devemos nos constituir em meios de propagação do ensino e da educação, promovendo assim, maior celeridade ao progresso dos povos em todos os quadrantes do mundo.

Se a Escola através das várias matérias que leciona, instrui e forma o intelecto, a família tem papel preponderante no ensino das Máximas Morais. Desta maneira completa-se o ciclo de aprendizado intelecto-moral, traduzindo-se em homens melhores, raças melhores e dando ensejo à melhoria da qualidade existencial de todos nós, onde quer que estejamos neste Planeta.

Ao terminar este artigo, remeto-me a esses “efebos do ensino”, dizendo-lhes para que tenham mais responsabilidade no ministrar de suas lições. Que se portem também como alunos sérios, mais ainda se a transmissão do conhecimento for doutrinária espírita, que estudem atenciosamente, tirem as dúvidas que tiverem, para que possam fazer de suas palavras o ideal a que muitos procuram obter: O CONHECIMENTO. Uma verdade mal dita, soa como mentira bem falada. Talvez por isso, o Espírito Verdade tenha asseverado: “Espíritas amai-vos, este o primeiro mandamento. Instruí-vos, este o segundo”.

Muita paz

Rio de Janeiro, 07 de abril de 2005.

4.08/5 (3)

Por favor, avalie este artigo.

Tags:

One Response “Educação e Ensino Moura Rêgo

  1. Jose Rosendo Neto
    11/07/2016 at 20:15

    Gostaria muito de receber estas publicações.

    0

    0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More Stories From Moura Rego

About [JCE] - Editor

Editor geral e responsável pela diagramação dos artigos no Jornal Impresso e Online.