Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

24/06/2017

Deus e a Nova Física Carlos de Brito Imbassahy


PalestranteSou Engenheiro Civil Rodoviarista aposentado do DER-RJ, diplomado em Ciências Exatas pela UFF do qual fui professor da cadeira de Analítica Vetorial. Depois transferido para o PROTEC. Lecionei Física no Liceu de Niterói e tenho ainda os diplomas de música (composição e instrumentação), curso de Jornalismo, trabalhei no Diário do Comercio de Niterói onde fui desde cronista, redator até revisor. Nasci em berço espírita e segui a linha de meu pai. Já tenho 10 livros espíritas publicados incluindo 2 romances. Sou colunista do JE (Jornal Espírita da FEESP) e da RIE (Revista Internacional do Espiritismo) onde mantenho atualmente um seriado: “O OUTRO LADO DA FÍSICA”. Sempre que sou chamado torno-me expositor da parte científica do Espiritismo.

Rio de Janeiro 31/07/1998

divisor-6

Considerações iniciais do palestrante

A massificação religiosa na mente das criaturas fê-las conceber um Deus antropomórfico cheio de defeitos e sentimentos humanos. Área em que a ciência não se intrometa pelas incompatibilidades de posição. Contudo, a astrofísica sofreu através dos tempos uma incontida evolução no estudo da formação do Universo como efeito de alguma causa. Assim, surgiu a ideia de um “Agente Supremo Estruturados” como sendo essa causa que teria dado forma ao Cosmo. Contudo, a divergência entre o Deus personalístico religioso, cheio de vontades, a ponto de não permitir que nenhuma folha caia sem que seja sua vontade e um agente perfeito e capaz de formar um Universo com leis imutáveis não afasta a hipótese de que ambas as facetas se refiram ao mesmo Criador. A Física, porém, não admite Deus interferindo nos destinos humanos, senão Ele próprio estaria negando suas Leis. Não julgando nem protegendo uns em detrimento de outros não sendo misericordioso, senão, imparcial não tendo atributos personalísticos nem sendo à imagem e semelhança do homem, porque, neste caso, o Universo não possuiria tamanha perfeição. Não culpa Deus por nada: “foi Deus quem quis”. Deus é a Lei Perfeita do equilíbrio que rege todo o Universo.

divisor-6

Perguntas/Respostas

1. Muitas provas científicas não estão de acordo com algumas supostas verdades Biblicas, gerando uma certa confusão nas interpretações de alguns estudiosos bíblicos mais ortodoxos! O que o Sr. nos diria à respeito?

— Eu não sigo a Bíblia, que, para mim, é um livro como outro qualquer. De fato, já meu pai me dizia que seus textos contém tudo que a gente queira para justificar, a favor ou contra.

2. “O espiritismo, avançando com o progresso, jamais será ultrapassado, porque se novas descobertas lhe demostrarem que está em erro acerca de um ponto; se uma verdade nova se revelar, ele a aceitará”. Quando Allan Kardec nos faz tal afirmação ele não estaria colocando o Espiritismo juntamente com a ciência na vanguarda dos acontecimentos?

— É exatamente essa a posição da ciência, ou seja, por aproximação em busca da Verdade. Com isso, o Espiritismo não podia fugir à regra.

3. A Moderna Física já conhece Deus?

— Admite sua existência como causa do Universo, contudo, inteiramente contrária à posição religiosa, porque um agente, para ser perfeito, não pode ser à semelhança do homem.

4. Deus teria elaborado as leis da criação. Quais seriam essas leis, além da lei da reciprocidade, que eu considero a mais importante?

— As Leis da Criação são as Universais, que regem a Física, a Química, a Biologia, e todas as demais ciências, decorrentes da existência do fenômeno.Qualquer fenômeno, portanto, é regido por uma Lei. Todas as Leis são oriundas da Criação.

5. Poder-se-ia dizer que a Física também se baseia, de algum modo, na fé?

— Não. A Ciência é fria e indiferente. Procura o fenômeno, as causas, as consequências e demais decorrências. Onde o fenômeno estiver, estuda-o sem partidarismo a fim de ser fiel à Verdade, pouco importando sua tendência.

6. As descobertas que acontecem através dos tempos seriam autorizadas pelos mentores que organizam a vida no planeta, evitando assim que venham ao conhecimento da humanidade antes que ela possa estar preparada?

— Os mentores apenas executam a Lei de Ocorrência, porque ela é oriunda da formação do Universo, como todas as demais. Dessa forma, tudo só acontece no seu devido tempo.

7. Como a hipótese da existência de Deus afetou a moderna física? Em que momento histórico isto ocorreu?

— Primeiramente, a hipótese da existência de Deus, no lado científico, não tem a mesma conotação religiosa. O que se tem em mente é que um Agente Supremo teria implodido toda a energia cósmica no fulcro central de partida da expansão universal. Com ou sem big- bang. Esse é o Deus físico e obedece ao raciocínio quântico do fenômeno produzido por uma emissão qualquer: no caso do som, um dedo fazendo a corda vibrar.

8. Alan Guth físico da mit, nos fala sobre as novas teorias do big-bang que apontam para múltiplos cosmos, onde existiria um vácuo dentro de um vácuo real? O que o Sr. nos diria a respeito?

— Prefiro seguir a hipótese de Gell Mann que nega o big-bang e admite que a expansão inicial se deu por descompressão. Está mais próxima da idéia de Deus comandando a formação do Universo. Contudo a Teoria dos Múltiplos Cosmos nasceu da verificação de que a energia é quadridimensional e como tal possui 4 mundos distintos a 3 dimensões, cada mundo seria um “cosmo” relativo.

9. O Espiritismo tem uma parte científica igualmente fria?

— A ciência espírita tem que ser fria para ser ciência. Só o fanático é que esquenta as turbinas achando que tudo seja fenômeno espirítico, que todas as mensagens mediúnicas têm procedência superior. Enfim, fanáticos que vêem até o que não existe.

10. Em relação à questão [5]: É possível conciliar o trabalho estritamente científico com a crença religiosa pessoal do cientista?

— De um modo geral, esta crença é que acaba sendo afetada pelas descobertas que o cientista logra fazer. Quando ocorre o contrário, o cientista acaba se tornando um mero objetivador de suas próprias verdades.

11. Algumas religiões mais ortodoxas dizem que os telescópios modernos, como o Hubble, são nada mais do que uma nova torre de babel, estaria o homem preparado para desvendar alguns segredos que porventura possa a vir descobrir no espaço?

— Claro que sim, pois nada acontece por acaso. Se a aparelhagem permite é porque ela está compatível com a ocasião.

12. A pesquisa científica moderna no campo do espiritismo está prejudicada por algum fator? (Comparando-se com a pesquisa científica existente na época de Kardec)

— Sim, está prejudicada pelos próprios espíritas reacionários que querem transformar a Doutrina em mais uma seita cristã. Infelizmente é fora do movimento espírita que está nascendo a prova do fenômeno espirítico.

13. A cada dia, os cientistas descobrem novas partículas, no campo da Física sub-atômica; alguma delas, na sua opinião, já poderia ser identificada com a “matéria elementar”, do FCU?

— O FCU não é Fluido. É a energia Cósmica em expansão, fundamento de todo o que existe no Universo: ela é amorfa e incapaz de se modular por si própria. Até essas simples partículas elementares do átomo, para que existam, têm que ter um agente estruturador estranho ao Cosmo para formá-la. Em síntese, é a “alma” da partícula, que não se limita aos seres biológicos.

14. A “prova do fenômeno espirítico” ainda é necessária como tema da pesquisa científica?

— A prova de qualquer fenômeno é que o justifica. Seria absurdo não se admitir o mesmo para o caso espirítico.

15. O que significa “alma da partícula”?

— Seria o agente estruturador, para nós, do mundo espiritual (princípio inteligente), que atua na energia cósmica para modulá-la. É compatível com o que vai estruturar. Então, a “alma elementar” é um psicóide, que não tem os mesmos predicados do agente estruturador das plantas e muito menos do correspondente aos animais.

16. Já houve, em algum momento, alguma pesquisa cientifica direcionada a “descoberta” do perispirito?

— Sim. Muitas. Os russos chegaram a detectar esse campo que é o perispiritual e que foi por eles denominado de “psicossoma”. Na Suécia pesaram a alma com um espectógrafo no momento agônico, registrando a perda de um campo com 2,2 Dagf de peso, que abandona o corpo. Esse campo é o que mais se aproxima da idéia de perispírito. Nos EUA, Harold Saxton Burr chegou a escrever um livro intitulado “Life´s Field”, ou seja, “Campo de vida”, por ele detectado e que também corresponde às características perispirituais. São todas experiências feitas com aparelhos semelhantes aos electrógrafos como os que as salas de CTI (ou UTI) possuem.

17. Existe alguma teoria física mais moderna que Einstein para explicar os fenômenos sub-atômicos e elas apontam no sentido de Deus ou não?

— O que há de mais moderno neste campo baseia-se nas experiências de Murray Gell Mann nos centros de pesquisa da Stanford University, onde há um acelerador de partículas dos mais modernos. Gell Mann descobriu que, de fato, como afirmara Heisenberg, as partículas têm vontade própria. Até aí apontam para o lado espiritual da existência. Deus ainda está muito longe.

18. Em 1779, David Hume escreveu que vários universos podem ter sido malfeitos ou se estragaram por uma eternidade anterior a esse nosso sistema. O que o Sr. nos diria a respeito dessa conceituada afirmação?

— Segundo Hume, o que se pode configurar é que Deus teria tirado toda essa energia que serviu para construir nosso Universo de um ou vários universos anteriores a ele. É o fenômeno sequencial. Com isso ele definiu o INFINITO. Em decorrência, quando o Universo em sua expansão, se diluir, outro irá ser formado de sua energia.

19. Técnicas de animismo, regressão e progressão da consciência, desdobramento induzido etc também são utilizadas como recursos técnicos para a pesquisa ligada à moderna física?

— Não. Essa pesquisa está no campo palingenético para pesquisar encarnações pretéritas. Por enquanto, ainda não se encontrou correlação com o fenômeno físico, senão com o biológico das lembranças do inconsciente.

20. A leis da física no plano material se assemelham às do plano espiritual?

— Primeiramente, não há plano de duas dimensões, e sim domínio material e domínio espiritual. O primeiro é o espectro evidentemente materializado do segundo. Como tal, sendo decorrente, suas leis emanam obrigatoriamente do anterior.

21. Sr. Carlos, se não existem evidências de outros universos anteriores, por que a colocação de Hume é tão aceita?

— Seria o caso de perguntar de onde procederia a energia que se constituiu em nosso Universo. Esse é o motivo de se ter que admitir que tenha havido outro anterior. Além disso, o nosso universo deixará de existir quando a expansão terminar e não mais houver condições de continuidade. Para onde iria essa energia?

22. As forças conhecidas pela ciência (gravitacional, eletromagnética, etc) também se aplicam à dimensão do espírito?

— Eu diria que essas forças são consequência das que comandam o mundo espiritual, evidentemente adaptadas para a existência energética do cosmos. Os sensitivos que se desprendem não sentem o efeito da gravidade porque o seu duplo não possui massa, ou seja, a energia condensada do corpo somático. Contudo, os Espíritos mantém-se no seu domínio com os mesmos movimentos que se nos afiguram idênticos aos nossos. Presume-se a correlação.

23 a) Poderia explicar o conceito da “ordem implicada” do cientista David Bohm, e sua relação com o avanço da Ciência na descoberta de Deus?

23 b) esse conceito poderia ser correlacionado, aa frase de Paulo de Tarso, “Tudo em Deus existe e se move”?

— A frase de Paulo sugere que o universo seja o “corpo de Deus”, e nesse corpo Ele encarnado. Desconheço o que se refere a “ordem implicada”.

24. A ciência encontrará meios de provar a existência de Deus? (Usando os critérios científicos atuais)

— A maior prova é a própria existência do Universo. O que se ignora é como possa ser essa causa formadora. Enfim, o que é Deus.

25. O senhor poderia nos falar do TEMPO, seu conceito físico para os encarnados e desencarnados?

— O tempo é o parâmetro que define a posição do Universo em expansão. Ele não existe com esse conceito no domínio espiritual. Em síntese, no Universo o tempo corresponde a cada etapa de existência desse Universo e é uma grandeza que não admite senão um sentido. Explicando: não retroage. Para se ver cenas do passado teremos que estar situados a anos-luz de distância da Terra correspondentes ao período que se queira ver. Atribui-se a esse fenômeno a possibilidade de se rever o passado sem se mergulhar nele.

26. Por que a luz das galáxias apresentam um desvio para o vermelho, em termos de comprimento de onda?

— Eu teria que lhe escrever uma equação de trajetória que, por ser matemática, exigiria uma série de símbolos de que não dispomos no navegador. Nunca nos esqueçamos que no Universo a velocidade é uma grandeza fundamental. Na nossa mecânica ela é a relação entre o espaço percorrido e o tempo gasto, o que muda o conceito de deslocamento. Por isso os comportamentos luminosos no espaço sideral são diversos do que os que ocorrem na atmosfera.

27. Ciência e religião irão convergir no futuro (quanto ao conhecimento)?

— Ciência, Religião e Filosofia só encontrarão a Verdade nesse ponto comum.

divisor-6

Considerações finais do palestrante:

Não podemos esquecer o tríplice aspecto, contudo, a parte religiosa do Espiritismo é distinta das demais religiões, porque não tem dogma nem culto, etc. A parte científica é fundamental para provar suas verdades e a filosófica para nos ensinar a viver. Luto contra os que tentam transformar o Espiritismo em mais uma seita. Ele perderia seu cunho, destoaria de Kardec, e não atingiria à sua finalidade que é a de elucidar a perfeição de Deus e a sua criação. A nossa vida, no sentido de existência, as Leis de causa e efeito e tudo o mais que um dia acabaremos por saber. Esta é a evolução e este o motivo para que Deus criasse o Universo.

5/5 (1)

Por favor, avalie este artigo.

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More Stories From Artigos

About [JCE] - Editor

Editor geral e responsável pela diagramação dos artigos no Jornal Impresso e Online.