Go to ...
Jornal de Ciência Espírita on YouTubeRSS Feed

22/11/2017

Minha nova obra sobre a Gênese

9 DE SETEMBRO DE 1867

(Ségur, sessão íntima. Médium sr. D…)

(Comunicação Espontânea.)


Duas palavras primeiro para a obra que está em trabalho. Como dissemos muitas vezes, é urgente pô-la em execução sem atraso e apressar, o mais possível, a sua publicação. É necessário que a primeira impressão seja produzida sobre os Espíritos quando o conflito europeu estourar; se ela tardasse, os acontecimentos brutais poderiam desviar a atenção das obras puramente filosóficas; e como esta obra está chamada a desempenhar o seu papel na elaboração que se prepara, não é preciso deixar de apresentá-la em tempo oportuno. Entretanto, não seria necessário, não mais para isso, restringir-lhe os desenvolvimentos. Dai-lhe toda amplitude desejável; cada pequena parte tem o seu peso na balança da ação, numa época tão decisiva quanto essa, e não é preciso nada negligenciar, não mais na ordem material do que na ordem moral.

Pessoalmente, estou satisfeito com o trabalho, mas a minha opinião é pouca coisa perto da satisfação daqueles a quem ela está chamada a transformar. O que me alegra, sobretudo, são suas conseqüências sobre as massas, tanto do espaço quanto da Terra.

Pergunta. – Se nada vier embaraçá-la, a obra poderá aparecer em dezembro. Prevedes obstáculos?

Resposta. – Não prevejo nada de dificuldades insuperáveis; a vossa saúde seria o principal, é por isso que vos aconselhamos, sem cessar, para não negligenciá-la. Quanto aos obstáculos exteriores, não pressinto nada de sério neles.

Dr. D.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *