Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTubeRSS Feed

18/08/2017

Moura Rego

Deficiente? por quê? Moura Rêgo

Há palavras que tomam vulto sombrio; Há termos inadequados; Há expressões que usamos mal. O Vocábulo deficiente é um deles … O dicionarista Aurélio Buarque de Hollanda diz em sua obra que o termo deficiente quer dizer: Falto, falho, carente, incompleto, imperfeito. E com justa razão, posto que, o vocábulo latino, quando empregado no terreno

Escândalos Moura Rêgo

Vamos conversar, hoje, baseados no capítulo VIII da obra O Evangelho segundo o Espiritismo, notadamente nos itens de XI a XXI. Na verdade, fico muito honrado em trazer à vocês esses itens, exatamente porque dentre o capítulo VIII, “OS QUE TÊM PURO O CORAÇÃO”, são estes os que relaciono como de grande importância nos dias

Quem disse que você não pode? Moura Rêgo

Somente os fracos e os pusilânimes acreditam não deterem atributos de vencedores. Estes se entregam ao desalento, à tristeza e a dor, sofrendo mais que suas próprias dores. Não buscam em si a força, a coragem e o jugo de suas próprias vidas, ficando, dessa maneira, entregues às doenças da alma. Ao estudarmos a obra

Considerações sobre o Perispírito Moura Rêgo

Leitura deste artigo pelo autor (Moura Rego): Desde a pureza absoluta, ponto inicial do F.C.U. (Fluído Cósmico Universal), à sua modificação e transformação em matéria densa, seu ponto oposto, existirão muitas aproximações entre um e outro. Destas observações, conclui-se que os mais variados estados de transformação, e também dos graus de pureza ou materialidade do

Bem aventurados os aflitos Moura Rêgo

Antes de constituir-se em obstáculo ao aproveitamento de nossas vivências anteriores – digo vivências porque ao espírito só é dada uma vida, o que ele vem por experimentar em nosso orbe, são múltiplas vivências, já que espíritos não morrem, não é mesmo? Acredito que alguns já começaram a entender que o esquecimento do passado é,

Mágoas, Tormentos e Dores

Na verdade encontramos cultores do pensamento de que não haja meio de libera-las de nosso coração, é um erro. Nós, é que em nossa pequenez e atavismos, não o enxergamos e se o fazemos, imediatistas como somos, não queremos perder tempo para dar ao tempo o tempo necessário para que o remédio conhecido surta efeito.

Ação: Silêncio! Moura Rêgo

Silencia. Quando o fogaréu da ira te incendiar os escaninhos da mente. A rispidez das palavras não ensina, afasta. Não edifica, destrói. Silencia. Quando tua voz te for a espada afiada. Armas não raciocinam, matam. Por não terem razão não são apenadas, mas por seu uso, fazem de seus donos mais que criminosos, Os fazem

Conflitos emocionais Moura Rêgo

São vários os conflitos que nos aturdem atualmente. Cada um de nós, com as suas experiências individuais, carregamos os transtornos que nos dizem respeito. Em nossa analise, não procuraremos aprofundar as questões do ponto de vista da Psicologia, Psiquiatria, Psicanálise, por não se tratar de uma exposição científica, e nem termos conhecimentos suficientes sobre o assunto.

A Casa Espírita Moura Rêgo

Será que no nosso hoje, sabemos nós, espíritas, qual a natureza da Casa Espírita e o que ela representa para o movimento espírita? Se de um lado temos aqueles que acreditam com boa fé que a casa espírita seja um Hospital de Almas. Estariam corretos? Qual o pensamento de Kardec a respeito? Outros muitos tecem

Aliança da Ciência e da Religião Moura Rêgo

Para podermos falar sobre a aliança entre a Ciência e a Religião, é necessário tocarmos em outros pontos também importantes. Sabemos que o espírito encarnado, (nós), vê, desde a criação, evoluindo. Tanto na moral, quanto nas Ciências. Na Ciência, nós, os espíritos encarnados, (homens), vimos de representar nossa progressão e avanço, pelas tecnologias que nos

Catástrofes e Flagelos

O homem, em sua descabida e ansiosa busca pelo progresso, há de ter a si apensada, a tipologia criminal de partícipe, ou co – autor de tragédias que antes eram somente imputadas nos capítulos referentes às forças da Natureza. Ora, basta-nos um pequeno arrazoado hoje em dia, para que cheguemos a conclusão de que, se

Older Posts›› ‹‹Newer Posts