Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

25/04/2017

Cesare Lombroso

Conclusões do Dr. Cesare Lombroso

Se alguma vez houve um indivíduo no mundo em oposição ao espiritismo em virtude da educação científica, e, posso dizer, por instinto, eu era essa pessoa. Assim escreveu Dr. Cesare Lombroso, um neuropatologista italiano de renome mundial, em seu livro publicado em 1909. Escreveu que havia realizado uma busca incansável de uma vida inteira, para defender a tese de

Experiências Fisiológicas com os Médiuns

Não se pode estudar o grande problema mediúnico senão através de instrumentos de precisão, que impedem todos os erros de interpretação e premunem contra todas as sugestões. A eles devemos a solução de grandes problemas científicos. Peso – Os estudos físicos que mais importam são, talvez, aqueles que dizem com o peso dos médiuns e

Premonições por Histéricos e Epilépticos

Como explicar as premonições e as profecias feitas, não por pessoas eminentes, geniais ou santas, mas por enfermos, às vezes em sonhos, quando a nossa ideação é, imprecisa e aberrante, e quando se desintegra nossa personalidade psíquica? Também aqui os casos chegaram de toda à parte, sem que eu os procurasse, e até quando os

Fenômenos Hipnóticos e Histéricos

Se existiu no mundo um homem, por educação científica e quase por instinto, contrário ao Espiritismo, esse fui eu, que, da tese: Ser toda força uma propriedade da Matéria e a Alma emanação do cérebro -, havia feito a preocupação mais tenaz da vida, eu, que havia zombado por muito tempo dos Espíritos das mesinhas…

No Campo do Espiritismo

Foi lenta e árdua, porém contínua e segura, a marcha de Lombroso rumo ao Espiritismo. Em seu opúsculo Studi sull’ipnotismo (Turim, 1882), o ilustre antropologista ridiculizava as manifestações psíquicas, chegando até, segundo suas próprias palavras, a insultar os espíritas. Motejava do fenômeno das mesas girantes e falantes, estranhando que pessoas de mente sã pudesse prestar-se

Quem foi: Cesare Lombroso

Nasceu em Verona (Itália) a 6 de Novembro de 1835, descendente, pelo lado paterno, de judeus espanhóis expulsos de sua pátria pelos Reis Católicos, em 1492. Sua primeira infância transcorreu tranquila e feliz, desfrutando a família de elevados recursos pecuniários e boa situação na sociedade. Isto não durou muito tempo. Numa dessas reviravoltas do Destino,