Go to ...
Jornal de Ciência Espírita on YouTubeRSS Feed

29/03/2020

A Mediunidade nas Crianças


Certa feita fui visitar um centro em Belo Horizonte. O grupo mediúnico era formado por uma fila de médiuns, todos sentados e de mãos dadas. Os assistidos vinham um por um colocar as mãos nos ombros do primeiro da fila. Em seguida o espírito que estava perturbando aquela pessoa incorporava-se num dos médiuns e ali era doutrinado. Em muitos casos vários obsessores se manifestavam.

cepa_dupla

Havia entre os médiuns um menino de apenas 11 anos, cujas incorporações me pareceram absolutamente autênticas. O dirigente informou-nos que aquele garoto tinha sofrido muito desde pequeno, por causa de uma mediunidade totalmente aflorada e por isso fora encaminhado para o trabalho de intercâmbio. Condicionada às ideias vigentes nos meios espíritas, julgava lamentável a atitude daquele dirigente. Isto se deu até eu ir a Belém-PA conhecer o Centro Espírita do Nazareno, dirigido pelo respeitado escritor espírita, dramaturgo, membro da Academia Paraense de Letras, Nazareno Tourinho.

Ali, tive oportunidade de assistir a um trabalho de desobsessão com a participação de um garoto de 12 anos. Pareceu-me um pré-adolescente tranquilo, com ar alegre de quem está de bem com a vida, apesar do respeito e do senso de responsabilidade que demonstrava para com as coisas espirituais. Perguntei ao Nazareno por que permitia ali tal procedimento, considerado incorreto nos meios espíritas.

Contou-me, então, alguns casos de crianças que ali chegaram após anos de sofrimentos seus e de seus familiares, por causa de uma mediunidade aflorada, e que encontraram em seu exercício o remédio que a medicina não pudera oferecer. Sugeriu-me reler um trecho de O Livro dos Médiuns, no Capítulo XVIII, item 221, alíneas 7 e 8, quando, em seguimento a um alerta sobre a inconveniência de se desenvolver a mediunidade em crianças, encontramos o seguinte:

“Mas há crianças que são médiuns naturais, seja de efeitos físicos, de escrita ou de visões. Haveria nesses casos o mesmo inconveniente? Não. Quando a faculdade se manifesta espontânea numa criança, é que pertence à sua própria natureza e que a sua constituição é adequada. Não se dá o mesmo quando a mediunidade é provocada e excitada. Observe-se que a criança que tem visões geralmente pouco se impressiona com isso. As visões lhe parecem muito naturais, de maneira que ela lhes dá pouca atenção e quase sempre as esquece. Mais tarde a lembrança lhe volta à memória e é facilmente explicada, se ela conhecer o Espiritismo.”

“Qual a idade em que se pode, sem inconveniente, praticar a mediunidade? Não há limite preciso na idade. Depende inteiramente do desenvolvimento físico e mais particularmente do desenvolvimento psíquico. Há crianças de doze anos que seriam menos impressionadas que algumas pessoas já formadas.”

Diante de tais fatos e explicações, percebemos o quanto é importante procurarmos ser sempre mais flexíveis e nunca achar que somos os detentores da verdade, porque a própria verdade também sofre modificações no bojo da evolução.

2.5/5 (1)

Por favor, avalie este artigo.

Tags:

2 Responses “A Mediunidade nas Crianças”

  1. Rivaldo
    23/11/2017 at 10:33

    O artigo é bastante útil. No entanto o autor não está identificado, o que é altamente recomendável senão compulsório.

    0

    0
    • 23/11/2017 at 13:01

      O nome do autor deveria ficar logo abaixo do titulo do artigo, quando o autor não deseja se identificar constará autor desconhecido. Devido a uma migração realizada alguns meses por problemas no servidor, alguns artigos perderam tags e subtítulos. Estaremos encaminhando esse problema ao responsável pelo website, agradecemos o feedback.

      0

      0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

More Stories From Artigos