Go to ...

Jornal de Ciência Espírita on YouTube

27/04/2017

A Construção do Amor Por Backpacker


Um assunto importante e que ainda é cenário de dificuldades ao ser humano, são os relacionamentos amorosos. Cada encontro entre dois espíritos afins, nesta dimensão, é um choque entre dois universos…trajetórias completamente diferentes.

Na codificação espírita este tema é recorrente de várias das leis morais, mas principalmente afetos às leis de reprodução, igualdade, liberdade, e por fim, justiça, amor e caridade.

Na primeira, a lei de reprodução, depreende-se o progresso proveniente dos relacionamentos monogâmicos:

Questão: 701 Qual das duas, a poligamia ou a monogamia, está mais de acordo com a lei natural?

– A poligamia é uma lei humana cuja abolição marca um progresso social. O casamento, conforme os desígnios de Deus, deve estar fundado na afeição dos seres que se unem. Com a poligamia não há afeição real: há apenas sensualidade.

Se a poligamia estivesse de acordo com a lei natural, deveria ser universal, o que seria materialmente impossível por causa da igualdade numérica dos sexos.

A poligamia deve ser considerada como um uso particular ou uma legislação especial, apropriada a alguns costumes, e que o aperfeiçoamento social faz pouco a pouco desaparecer.

O Livro dos Espíritos


Na Lei de Igualdade, por sua vez, compreende-se a que a diferença na trajetória de cada ser resulta nas faculdades adquiridas. Uma aparente desigualdade de aptidões, que se bem observadas, é uma oportunidade de aprendizado mútua…

Na Lei de Liberdade, aprende-se o respeito aos direitos de cada um, e na questão 825 que dá abertura ao capítulo, demonstra que todos necessitam uns dos outros, independente da desigualdade de aptidões.

Oportunidade divina, portanto, de comungar nossas conquistas com nosso próximo, em clima de reciprocidade e indulgência.

Amor, é muito mais do que paixão. Esta segunda é instantânea, que observa nuances superficiais, as quais possibilitam uma aproximação.

Mas o amor é uma construção mais complexa, que depende dos parâmetros indicados nas leis morais, uma edificação da engenharia mais perfeita. Os primeiros vértices deste alicerce, portanto, são: a indulgência, a reciprocidade, a confiança e o companheirismo. Nenhum destes pilares pode ruir, se o intuito é verticalizar esta edificação. O combustível para os equipamentos nesta obra, é simples: disposição/força de vontade.

Trata-se, ademais, de um marco de progresso moral, vencer a ânsia por satisfação pessoal, advindas do egoísmo e do orgulho que deturpam o conceito de relacionamento.

Todos estes valores destacados direcionam-se ao objetivo final, da Lei de Justiça, Amor e Caridade. Esta é uma de nossas grandes provas… conhecer a si mesmo, compreender as diferenças e limitações de cada um, amar ao próximo como a si mesmo, seguindo um caminho de verdades, nos trilhos de oportunidades da vida.

Nós do Jornal Ciência Espírita, desejamos relacionamentos vigorosos, construtivos e positivos a todos nossos leitores.

“A felicidade só é verdadeira quando compartilhada” H. David Thoreau

Por favor, avalie este artigo.

Tags: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More Stories From Backpacker

About [JCE] - Editor

Editor geral e responsável pela diagramação dos artigos no Jornal Impresso e Online.